Rede de Urgência e Emergência

A Resolução SES nº 2.607, de 07de dezembro de 2010, estabeleceu as normasaliança logo

gerais para a implantação das redes regionais de urgência e emergências no Estado de Minas Gerais. Nesta Resolução foi definido que as redes de atenção à saúde exigem uma combinação de economia de escala, qualidade e acesso aos serviços de saúde, com territórios sanitários e níveis de atenção.

A Rede Regional de Urgência e Emergência no Estado de Minas Gerais é

composta por:

  • Atenção Primária em Saúde;
  • Unidades de Pronto Atendimento; as quais devem observar, no que couber, as disposições da Portaria GM/MS nº 1601, de 07 de julho de 2011, e da Resolução

SES/MG nº 2809, de 18 de maio de 2011.

  • Pontos de atenção hospitalar classificado de acordo com sua tipologia e função

na rede.

  • Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192 macrorregional;
  • Complexo regulador como instrumento de comando na resposta às demandas de urgência, sendo que à regulação de urgências do SAMU caberá a coordenação das ações apoiada pelas outras centrais de regulação do complexo.
  • Comitê Gestor Macrorregional das Urgências e Emergências.

Os Hospitais participantes da Rede de Resposta Hospitalar as Urgências e

Emergências são definidos, de acordo com classificação e função na Rede, observados as seguintes tipologias:

  • Hospital de Urgência Nível IV;
  • Hospital Geral de Urgência Nível III;
  • Hospital Geral de Urgência Nível II;
  • Hospital de Referência ao Trauma Nível I;
  • Hospital de Referência às Doenças Cardiovasculares Nível I;
  • Hospital de Referência ao Acidente Vascular Cerebral Nível I;
  • Hospital de Urgência Polivalente Nível I.

Em 2011 foi publicada a Portaria MS/GM nº 1.600, de 07 de julho de 2011, estabelecendo as diretrizes para a organização da rede de atenção às urgências de forma regionalizada visando garantir aos usuários resolução integral da demanda no quadro agudo ou a transferência, responsável, para um serviço de maior complexidade, possibilitando o acesso aos diversos pontos da atenção dentro de um sistema hierarquizado, regulado, formalizado entre municípios e regiões conformando a rede.

Este modelo de organização vem possibilitar ao Estado avançar na conformação das redes que vem sendo implantadas nas Macrorregiões, reforçando a implantação do

Plano Diretor de Regionalização e justificando-se assim este projeto Macrorregional. Um projeto que envolvesse somente a região metropolitana fragmentaria a conformação da rede e dificultaria aos nossos usuários uma atenção qualificada, ágil e resolutiva.

A importância da conformação da Rede de Urgência macrorregional está na viabilidade de redução das mortes e sequelas evitáveis.

 

Projeto Rede UE Macro Centro